(51) 3333-4670

"o leite da mãe pode ser fraco, o bom é complementar com chá ou água."

 

MITO! O leite materno é o alimento mais nutritivo que existe. Cada mãe produz o leite ideal para o seu filho, por isso não é recomendado complementar com leite ou chá.As fórmulas industrializadas só devem ser dadas sob orientação do pediatra.

 

"o banho de imersão só pode ser dado após o terceiro mês."

 

MITO! Antigamente os banhos eram dados com paninhos, sem molhar o umbigo. Essa prática não é mais realizada, pois sabe-se que o bebê pode sim ficar imerso na banheira, com todo o corpo, até os ombros cobertos por água. O banho é um momento de relaxamento para a criança, os pais precisam segurar o bebê de forma firme e lavar todo o corpo. O importante deste tipo de banho é que, após terminar, é necessário secar parte por parte, dando uma atenção maior ao coto umbilical.

 

"Moeda e cinta para evitar umbigo saltado.'

 

MITO! O uso da moeda e da faixa oferecem inúmeros riscos ao bebê. A moeda pode contaminar a região e a faixa vai deixar o local úmido, causando justamente o efeito contrário que se espera: que ele fique cada vez mais sequinho e caia naturalmente.

 

"Álcool 70% e cotonete para limpar o umbigo.'

 

VERDADE! A maneira correta de higienizar o coto umbilical é passar diversas vezes por dia, sem medo, álcool 70%, por meio de uma haste flexível. Este processo higieniza e auxilia na maturação do coto, que pode levar de 07 a 15 dias para cair. O importante é que a região não fique abafada por roupas apertadas ou até mesmo a fralda.

 

"Homens não sabem cuidar de bebês."

 

MITO! A presença do pai é fundamental em todos os momentos, e é fundamental que a mãe dê espaço e delegue atividades para que o pai participe ativamente das atividades do dia a dia. Sempre digo no curso de gestantes que "o banho é tarefa do pai":

 

"O leite materno pode ser armazenado no congelador."

 

VERDADE! O leite materno ordenhado tem durabilidade de até 15 dias se armazenado no freezer ou congelador. Na geladeira comum, o leite materno tem durabilidade de até 12 horas.

 

Fonte: HEMOCORD MAGAZINE | 2018-2019

Quando nasce um bebê, nasce uma mãe. Nasce um pai, um irmão ...A verdade é que toda a família descobre novos papéis, renasce com novos propósitos e responsabilidades. Quando a mulher descobre que já não está mais sozinha, que carrega consigo um grãozinho de areia com um coração forte pulsando, o bebê tem em média, de 4 a 8 semanas, E é aí que começa a grande transformação, emocional e corporal. De acordo com a enfermeira especialista em Educação e Saúde, Janaína Lima, a mulher pode passar por diferentes fases durante a gestação, como insegurança, problemas com baixa autoestima, questões de saúde e a própria mudança do corpo pode fazer com que ela não se reconheça ou se redescubra.

 

"Os sentidos da mulher ficam mais aguçados, os sentimentos à flor da pele, existem muitas dúvidas, o corpo se transforma, os seios ficam sensíveis e maiores e começam a se preparar para o aleitamento materno", explica a profissional que ministra cursos de gestantes voltados para casais e avós em todo o Rio Grande do Sul.

 

De acordo com Janaína, a preparação para a chegada do filho é fundamental, pois muitos casais acabam se sentindo inseguros neste momento de mudança. "É preciso passar pela transição de casal para pai e mãe, a configuração familiar muda, até mesmo para aqueles que já tiveram filhos, tudo se transforma e é fundamental a inserção de uma rotina". afirma.

 

De acordo com Janaína, a preparação para a chegada do filho é.fundamental, pois muitos casais acabam se sentindo inseguros neste momento de mudança. "É preciso passar pela transição de casal para pai e mãe, a configuração familiar muda, até mesmo para aqueles que já tiveram filhos, tudo se transforma e é fundamental a inserção de uma rotina", afirma.

 

O curso de gestantes tem se apresentado como uma excelente maneira para entender o processo da gestação e de esclarecer todos os anseios que envolvem este período, como tipos de parto, alimentação-banho, pega e posição para aleitamento, visita ao recém- -nascido ... Enfim, todo o universo que permeia a vida desta família. O Hemocord possibilita cursos para o casal e família à domicílio.

 

NASCIMENTO

 

Com o nascimento do bebê "nascem" também inúmeros especialistas no assunto. Avós, tios, dindos, vizinhos ...Opinião é o que não falta nas condutas a serem tomadas com o pequeno ser que acabou de vir ao mundo. Para Janaína, a segurança dos pais nas ações desenvolvidas é fundamental para que estes primeiros dias sejam mais tranquilos. "É evidente que pais de primeira viagem estão aprendendo e é assim que deve ser, mas precisam estar seguros, com base em informações técnicas e profissionais, das melhores condutas com o filho. Se estiverem confiantes, saberão se posicionar e realmente organizar a nova rotina de acordo com o que acreditam", orienta.

 

O SONO DO RECÉM NASCIDO

 

Os recém-nascidos dormem muito e vale ressaltar que eles é que devem estar inseridos à rotina da família, e não a família mudar toda a sua estrutura para a adaptação do bebê. "Costumo brincar que foi a criança que chegou depois, claro que precisamos estar atentos e zelosos, mas é o bebê que deve se adaptar ao nosso dia a dia e não o contrário", afirma. 

 

Fonte: HEMOCORD MAGAZINE | 2018-2019

Generosidade é uma qualidade que' anda em falta no mundo hoje em dia. Somos cada vez mais individualistas e temos cada vez menos tempo de pensar no que fazer para ajudar os outros. Em um cenário como esse, é possível ensinar seu filho a ser mais generoso? Para a especialista em desenvolvimento infantil Robyn Silverman, é possível.

 

Em seu livro intitulado Powerful Words (Palavras Poderosas), ela fala de sua pesquisa sobre educação e generosidade. Nessa pesquisa, foi feito um currículo especial para ensinar crianças do ensino fundamental a serem pessoas melhores e ajudarem umas às outras. O currículo foi utilizado em nove países e beneficiou a todos os envolvidos.

 

Essas são algumas das ideias que surgiram nessa pesquisa para tornar as crianças mais generosas. E você pode aplicá-las em casa!

 

DÊ O EXEMPLO

 

O primeiro passo para que seu filho seja mais bondoso e queira ajudar os outros é dar o exemplo. Fazendo doações, trabalhos voluntários ou simplesmente ajudando um amigo que precisa, você mostra a ele o quanto é bom estender a mão para alguém e tornar a vida dessa pessoa melhor.

 

INCENTIVE AS CRIANÇAS A TEREM SEUS PRÓPRIOS PROJETOS

 

Sabe aquele sábado à tarde em que seu filho está entediado e quer algo novo para fazer? Use esse tempo para fazer um brainstorming - "tempestade de ideias" - com ele e pensar em maneiras de ajudar alguém.

 

Pergunte quem ele gostaria de ajudar. Outras crianças? Idosos? Pessoas com necessidades especiais? Animais? Mostre as diversas maneiras que existem de ser generoso. Procure por projetos que possam inspirá-lo.

 

Assim, as crianças entendem melhor a importância da generosidade, descobrem o que podem fazer pelo próximo e desenvolvem novos interesses, criando seus próprios projetos.

 

RESERVE UM TEMPO DA CRIANÇA PARA ATOS SOLIDÁRIOS

 

Muitos pais, sem se dar conta, ocupam todo o tempo da criança com atividades extraclasse, sem reservar algum período para atos de generosidade. Diga que está orgulhoso dessas atitudes, e ajude-o a reorientar seu tempo para conseguir conciliar estudos, vida social e trabalho voluntário.

 

Mostrar que sempre há tempo e espaço para ajudar o próximo é uma maneira de ensiná-Io a ser mais generoso.

 

Depois que seu filho começar a se envolver em ações de generosidade, você nem mesmo precisará pedir que ele continue: ser generoso atinge não apenas quem é ajudado, mas também quem está ajudando.

 

Quem faz trabalho voluntário se sente melhor consigo mesmo, fica com a autoestima mais elevada e com a sensação de dever cumprido no fim do dia.

 

Ser generoso vai deixar seu filho mais feliz, vai fazer com que ele aprenda mais sobre o mundo e conheça outros pontos de vista, e vai aguçar seu interesse por diversas áreas - como a sustentabilidade, a medicina e as ciências sociais.

 

São pequenos atos que podem incentivar seu filho a ser mais generoso e ajudar a criar um mundo melhor.

 

Fonte: HEMOCORD MAGAZINE | 2018-2019

 

 

Arquivo do Blog