(51) 3333-4670
Blog da Ginecologista
A certidão de nascimento e os ovários

Corte de ovário com folículos.Quantos anos você tem? Ou melhor, com quantos anos você se sente? Se apagassem a sua memória, quantos anos você se daria?


Talvez você respondesse: Não sinto a idade que tenho! Parece que tenho uns 5 a 10 anos menos! Me sinto tão bem agora, meu físico, minha cabeça, minha saúde, minha experiência, tudo vai bem!


E o seu ovário responderia o quê?


Na verdade, ele é antiquado, finito, e um velho por natureza; parece que ele não tem sonhos projetados para frente e segue rigorosamente a idade cronológica da sua certidão de nascimento. Não importa como você se sente, ele segue dando sinais claros de envelhecimento, e tudo que ele tem a nos oferecer, que são seus óvulos, sucumbem em quantidade e qualidade quando os anos se passam.


O envelhecimento dos ovários é um processo contínuo desde a fase intraútero até a menopausa. Ao nascer, há uma reserva oscitaria em torno de 2 milhões, na puberdade, de aproximadamente 300 a 500 mil, aos 38 anos cai para ±25 mil, e próximo da menopausa o número é menor que mil oócitos. A mulher tem menos que 500 ovulações em sua vida; em cada mês que ela ovula, estima-se que há perda aproximada de mil oócitos por mês. Por vezes, isso pode ser mais rápido ou mais lento, dependendo dos "cuidados" que a mulher têm sobre esse órgão. E o que significa cuidar dos ovários? Muito difundido no cotidiano, "cuidar" dos ovários significa não fumar, não beber, proteger-se das doenças sexualmente transmissíveis, não usar drogas, não se expor a produtos químicos (agricultura, industria, comércio), não sofrer intervenções cirúrgicas sobre o órgão, quimioterapia e, dentre outros, a sorte de nano ter endometriose ovariana.


Antecipando-se a própria certidão de nascimento, o ovário pode envelhecer precocemente e surpreender a mulher com uma falência completa da sua função. Quando ocorre antes dos 40 anos de idade, é definido como falência ovariana precoce e pode acontecer em 1 a 3% das mulheres, sem contar que adolescentes também podem ter esta ingrata surpresa, e a hereditariedade na idade da menopausa pode participar em 30 a 85% dos acontecimentos. A dosagem do Hormônio Antimülleriano (HAM) nos permite estimar a reserva ovariana, mas não há evidências de que ele possa inferir a qualidade dos óvulos. Mesmo levando em consideração que a reserva ovariana não é uniforme nas mulheres, níveis baixos de HAM servem de alerta sobre o futuro reprodutivo.

Ao adiar a maternidade ou ser surpreendida por uma baixa reseva ovariana, a gravidez fica ameaçada, principalmente quando a idade materna é avançada (≥40 anos). Se a fertilização in vitro pode obter índices de gravidez próximo dos 60% em mulheres com menos de 35 anos, apenas ¼ delas engravidam aos 40 anos e somente 3% conseguem aos 45 anos. Em relação às taxas de aborto, que até os 35 anos está na ordem de 15%, se aproxima dos 30% aos 40 anos e alcança os 70% acima dos 45 anos. Outro fato perplexo é a taxa de aneuploidias embrionárias; a média global de todas as mulheres é de 50% e pode ultrapassar a 80% quando acima dos 40 anos.


Frente a tanta adversidade, podemos contar com os milagres? Eles, de fato, existem? E a intervenção de Deus nas nossas impossibilidades, é possível? Até quando a Fé permite atitude passiva na busca da maternidade? Nos tempos de Herodes, até mesmo o sacerdote Zacarias, casado com Isabel (considerada estéril e de idade avançada), não deu o devido crédito às palavras do anjo do Senhor, quando disse que Isabel engravidaria e daria um filho a ele com o nome de João. Por esse desce´edito, Zacarias ficou mudo até depois do nascimento de João Batista.


Nos dias de hoje, dificilmente as mulheres voltem a ter seus filhos muito precocemente. A gravidez tardia tende a se manter. O congelamento de óvulos pode afiançar certa tranquilidade. Contudo, quando o ovário deixa de coadjuvar, a busca por óvulos doados é a alternativa. Na real, tudo o que deixares de fazer na juventude do ovário poderá ter conseqüências nos seus desejos reprodutivos. A maturidade do ovário não traz ganhos reais. Não esqueça de, de quando em vez, consultar a sua certidão de nascimento.

Fonte: João Michelon/Revista FERTILITAT

 
Prevenção de câncer de intestino

ex1O câncer de intestino (colorretal) pode ser tratado e curado, desde que detectado precocemente. Este tipo de tumor tem uma incidência maior a partir dos 50 anos, sendo, aqui no Rio Grande do Sul, o terceiro tipo mais comum em homens (ficando atrás de próstata e pulmão) e o segundo em mulheres (depois do câncer de mama).

"0 câncer colorretal pode ser evitado com a adoção de hábitos mais saudáveis e realização de exames conforme orientação do coloproctologista", explica a Dra. Marlise Cerato. A neoplasia colorretal é uma doença que surge devido ao somatório de alterações genéticas que levam ao aparecimento de pólipos de intestino, os quais, em geral, são lesões assintomáticas. Uma forma de prevenir o câncer de intestino é a realização da colonoscopia para detecção e retirada destas lesões, antes que elas se tornem malignas, afirma a Dra. Marlise.

Este exame, segundo a médica, é considerado padrão-ouro e deve ser realizado em todas as pessoas, assintomáticas, aos 50 anos e, para quem tiver história familiar de câncer e/ou pólipos colorretais, a partir de 40 anos. Se o paciente apresentar algum sintoma, deve procurar o coloproctologista imediatamente. Dentre os
sintomas ou sinais de alerta, a médica cita constipação ou diarreia sem associação com ingestão de alimentos, anemia, fraqueza, cólica abdominal, emagrecimento, sangramento anal e sensação de evacuação incompleta.

Como prevenir o câncer de intestino?

Consumo diário de fibras, frutas e verduras, em torno de 25-30 gramas.
Atividade física regular.
Evitar gorduras e carne vermelha.
Não fumar, não ingerir bebidas alcoólicas em excesso, ficar em form.
Tenha uma vida saudável, se alimente e durma bem, faça atividade física regularmente, pratique atividades relaxantes, conviva com amigos, desenvolva uma relação afetiva positiva e faça exames conforme a indicação para sua idade, história familiar e manifestação clínica, conclui a Dra. Marlise Cerato, presidente da Associação Gaúcha de Coloproctologia.

Os tumores de cólon, em geral, tem indicação cirúrgica, as quais, muitas vezes, podem ser realizadas por videolaparoscopia. As chances de cura dependem do estágio da doença, atingindo ate 90% nos casos iniciais.

Realizar o exame de colonoscopia é essencial. É considerado padrão-ouro no diagnóstico do câncer de intestino grosso. Recomenda-se a realização da colonoscopia para todos as pessoas a partir dos 50 anos e, para quem tiver história familiar de câncer colorretal e/ou pólipos, a partir de 40 anos.

 
O sol é aliado ou vilão

exO sol é fonte prioritária de vitamina D, essencial para o organismo, em especial para o fortalecimento dos ossos. Essa vitamina é sintetizada pela pele. "A exposição ao sol responde por 80 a 90% das necessidades diárias de vitamina D, sendo o restante proveniente de alimentos como óleos de peixe, salmão, bacalhau, entre outros", afirma a nutróloga Karen Muñoz. Ela defende que "uma exposição solar diária de 5 a 10 minutos, com pouca roupa e sem protetor, seria o suficiente para manter as reservas de vitamina D. Obviamente, evitando os horários críticos de radiação (das 10h as 15h). O difícil é, na nossa correria do dia a dia, nos permitirmos parar por alguns instantes e apreciar os raios de sol!".

Mesmo reconhecendo que o sol tem efeitos benéficos para a saúde, como a produção de vitamina o oncologista Gabriel dos Anjos afirma que "O sol em excesso, por outro lado, também está associado a diversos prejuízos para a pele e para a saúde, como envelhecimento precoce e desenvolvimento de câncer de pele. Ou seja, precisamos de sol na quantidade adequada para nossa saúde e evitando excessos". A dermatologista Raquel Heidrich concorda: "0 sol envelhece precocemente a pele porque os raios ultravioleta agridem a pele. Podem ocorrer desde queimaduras solares até o câncer de pele. A vitamina D pode ser obtida com exposição solar durante 15 minutos, 3 vezes por semana".

  • Manchas, sinais e pintas surgem ao longo da vida e poderão ser sintoma de alerta no caso de sangramento, crescimento rápido, formação de úlcera, coceira, mudança de aspecto. Nestes casos, procure imediatamente um dermatologista.
  • Pessoas com pele seca devem evitar banhos muito quentes e demorados, pois estimulam o ressecamento. Use hidratantes regularmente. Isso vale para peles brancas e negras.
  • Prefira sempre cosméticos de boa qualidade e procedência.
  • Para prevenir o câncer de pele, evite exposição ao sol em horários de radiação solar mais intensa (das 10h as 16h), use protetor solar diariamente, mesmo em dias nublados, e não esqueça do chapéu e dos óculos de sol para proteção.
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 2 de 16

Arquivo do Blog