(51) 3333-4670

Fundamentais para nossa existência, pois sustentam toda a nossa estrutura e demais sistemas do nosso corpo, os ossos é que possibilitam nosso deslocamento, movimentos e a interação com o ambiente em que vivemos. Os ossos também tem importante função de proteção de órgãos vitais, e são estruturas que se renovam e evoluem.

O sistema músculo-esquelético é composto pelos ossos, cartilagens, ligamentos, tendões, sinóvias, bursas e fáscias. Fornecem toda a estrutura do nosso corpo e, juntamente com a musculatura, possibilitam nosso deslocamento e a interação com o mundo.

Como explica o ortopedista Sandro Costa, este sistema é fundamental até para a respiração, "pois dá a conformidade da caixa torácica, permitindo a insuflação dos pulmões ao expandir o gradil costal e contrair o diafragma".

Outra importante função dos ossos e a proteção ao sistema nervoso central. Esse é dividido pelo cérebro que é envolto pelo crânio, e pela medula que é envolta pela coluna vertebral.

Os ossos são estruturas vivas, com grande vascularização e dinamismo, que se renovam pela vida inteira, através do deposito de cálcio e sua reabsorção. "Isso é constante durante toda nossa vida e vários fatores estão envolvidos nessa troca de cálcio, como a disponibilidade desse íon, a presença de estímulos, a disponibilidade de vitamina D, etc.", garante o ortopedista.

 

  • Exemplos de alimentos ricos em cálcio: leite e derivados, como iogurte e queijo, carnes magras, cereais, batatas, hortaliças, sucos de frutas frescas, peixes.
  • A osteoporose é caracterizada pela perda gradual de massa óssea, que enfraquece os ossos, tornando-os mais frágeis. Punho, coluna vertebral e quadril são locais clássicos de fraturas por osteoporose.
  • O exame que permite o diagnóstico e o acompanhamento da osteoporose é a densitometria óssea, indicada para pacientes idosos ou que tenham fatores de risco e deve ser repetida a cada dais anos.

 

Vamos manter a vitalidade óssea?

 

Vários fatores estão envolvidos na "vitalidade óssea" e maus hábitos podem prejudicar e dar início ao desenvolvimento da osteoporose. Alcoolismo, tabagismo, sedentarismo, má nutrição, baixa ingestão de cálcio prejudicam e acabam com a vitalidade dos nossos ossos. Como alerta o ortopedista Sandro Costa, não existe reversão para a osteoporose: "Então temos que preveni-la. O objetivo primário do tratamento da osteoporose é a prevenção".

Portanto, devemos dar ênfase para a nutrição balanceada, a prática constante de exercícios físicos e a adequada ingestão de cálcio e vitamina D - melhor metabolizada pela exposição ao sol - fundamentais para manter os ossos saudáveis e vivos!

 

Nossa versatilidade vem dos ossos

 

Os ossos são unidos por ligamentos e formam as articulações, que permitem a nossa locomoção e adaptação a vários terrenos. Essas articulações nos tornam extremamente versáteis, pois podemos correr em diferentes pisos, sentar, agachar, escalar, fazendo todos os movimentos e nos amoldando a diferentes contornos.

Os ossos estão envolvidos em diversas funções, até mesmo onde nem pensamos: por exemplo, temos três ossos (estribo, bigorna e martelo) que compõem o sistema auditivo, sem os quais não seria possível este importante sentido que é a audição.

Também na medula óssea é que são produzidas as células sanguíneas, tais como hemácias e leucócitos, sem as quais não haveria vida.

Frequentemente surgem questionamentos quanto à importância de iniciar arealização da mamografia anual a partir dos 40 anos, porém continua sendo este exame o mais indicado para a descoberta do câncer de mama, inclusive trata-se do principal método de diagnóstico deste tipo de câncer na sua fase precoce. Mesmo com a indicação do exame anual, esta neoplasia, que é a segunda mais frequente no mundo, ainda é muitas vezes descoberta em estágios avançados, o que eleva as taxas de mortalidade. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), em 2010 foram cerca de 50 mil casos e 12 mil mortes provocadas pelo câncer de mama.

A Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), em concordância com o Conselho Federal de Medicina (CFM) e com a American CancerSociety, além da Sociedade Brasileira e Sociedade Latino-Americana de Mastologia, reconhece a importância da mamografia e recomenda que o exame seja realizado nas pacientes anualmente a partir dos 40 anos. O presidente da Comissão de Mamografia, Henrique Pasqualette, explica que os tumores mamários que aparecem entre 40 e 50 anos tendem a ser mais agressivos. ‘’Por isso o diagnóstico precoce é tão importante’’, diz.

O objetivo na identificação precoce de uma doença por meio de um teste ou exame de triagem, a exemplo da mamografia, visa prevenir ou retardar o seu surgimento, assim como em retardar ou eliminar suas consequências, informa o “Manual de Orientação sobre Mamografia”da Febrasgo. Este manual ainda esclarece que, embora a taxa de incidência do câncer de mama continue aumentando, a mortalidade por essa doença declinou cerca 30%. “Este declínio deve-se quase que exclusivamente aos programas de rastreamento que permitem a detecção do câncer em fases cada vez mais iniciais’’, destaca o vice-presidente da Comissão de Mastologia, Dr. Alfredo Barros.

 

Meninas na faixa de 9 anos a 13 anos terão o direito de receber gratuitamente na rede pública de saúde a vacina contra o papilomavirus humano (HPV). O projeto de lei que prevê a medida foi aprovado hoje (12) na Comissão de Assuntos Sociais do Senado e agora vai à análise da Câmara dos Deputados.

O vírus do HPV é sexualmente transmissível e está relacionado ao câncer de colo de útero, entre outros. Atualmente a vacina é vendida na rede privada de saúde.

A autora do projeto de lei, Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), estabelece que as mulheres beneficiadas pela vacina também terão direito a receber, de profissionais do Sistema Único de Saúde (SUS), esclarecimentos sobre as doenças causadas pelo vírus. Os hospitais e postos de saúde da rede pública também deverão garantir o acesso a todo e qualquer atendimento complementar necessário.

 

 

Arquivo do Blog