(51) 3333-4670
banneral banneral2 banneral3

Especialistas alertam para cuidados que devemos ter antes e durante uma viagem

 

A cena é comum: toda família viaja de férias e, em poucos dias, alguns começam a apresentar sintomas como febre, indisposição intestinal, tonturas e até pele ressecada. Sair do frio e encarar o calor em outro estado ou país pode não ser tão simples quanto parece. O mesmo acontece para quem está no verão e vai passar férias no inverno. O pneumologista Leonardo Gilberto Haas Signori afirma que tanto sair do frio e ir para calor ou o inverso podem apresentar sintomas e incômodos para os viajantes. Entretanto, a maioria dos problemas crônicos de respiração piora no inverno, pelo aumento de infecções respiratórias.

 

- As mudanças extremas de temperatura podem ser prejudiciais, pois a nossa via respiratória não está preparada para absorver este ar tão diferente do que estamos acostumados - explica Signori.

 

O ar muito gelado causa irritação, inchaço, aumenta secreção e pode causar uma infecção nas vias respiratórias. Para evitar estes quadros, o conselho é manter um bom nível de hidratação corporal bebendo muita água. No frio é aconselhável tentar manter o ambiente arejado, para diminuir a circulação de vírus e bactérias. Além disso, é indicado lavar aos mãos e evitar contato com pessoas que estejam doentes. As orientações são as mesmas para o calor.

 

Outra medida preventiva, relatada pelo pneumologista, é apostar em uma alimentação balanceada durante as férias, além de ter uma noite de sono adequada. Os cuidados com a alimentação também são avaliados como imprescindíveis pela nutróloga Jaqueline Costa Coelho. A médica afirma que o ideal, para evitar incômodos intestinais durante a viagem, é sempre manter o costume da boa alimentação, independente do local

 

- Se a pessoa está no verão aqui, é normal ingerir bastante fruta, salada. Então, ela viaja para o norte, que está no inverno e não come esses alimentos. Isso faz com que reduza a ingestão de microminerais, que agem no sistema imunológico. Se a pessoa está acostumada com o frio e chega em um local diferente comendo o que não estava habituado, pode ter uma gastroenterite – explica Coelho.

 

A cardiologista Luciana Reis alerta que a falta de cuidados com a mudança de temperatura pode ser perigosa, principalmente se o paciente sair do calor e for para o frio.

 

- É sabido que, com o frio, aumentam casos de infartos e de doenças cardíacas. Alguém que está em ambiente de temperatura amena e fica no frio extremo vai correr um risco maior de apresentar problemas no coração. É importante visitar um cardiologista antes de viajar para a realização de exames preventivos – afirma Reis.

 

O dermatologista Damie De Villa explica que os extremos de temperatura requerem tratamentos diferentes e especiais com a pele.

 

- Essas mudanças bruscas de temperatura vão trazer algumas alterações na pele. Quando vamos do frio para calor, a pele fica mais oleosa, com os poros mais dilatados, podendo ter aumento de acnes. Isso para quem tem uma pele saudável, pois quem já tem algum problema pode agravar a situação. - salienta.

 

Já a troca do verão para o inverno requer cuidados diferentes, com destaque para a hidratação da pele, para evitar um quadro de ressecamento.

 

Fonte: Jornal AMRIGS

SOBRE a MÉDICA

Possui graduação em Medicina pela Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (1993) e especialização profissional em...

A CLÍNICA

Av. Goethe, 21 conj. 604 - Moinhos de Vento | Próximo ao Parcão | Aceitamos...

DOWNLOADS

BAIXAR