(51) 3333-4670
banneral banneral2 banneral3

Nos últimos meses, notícias sobre casos de febre amarela têm dominado os noticiários. Uma doença que era considerada erradicada nas áreas urbanas brasileiras desde os anos 1940, voltou a menifestar surtos no leste de Minas Gerais. O infectologista Cezar Vinícius Würdig Riche, gestor do Serviço de Controle de Infecção do HED, traz importantes informações sobre o tema:

 

O que é a febre amarela?

 

R - A febre amarela é uma doença febril aguda, grave. Esta doença acomete humanos e animais, principalmente primatas.

 

Como é transmitida?

 

R - Essa doença pertence às arboviroses, ou seja, doenças transmitidas por artrópodes - no caso, mosquitos. Qualquer pessoa pode adquirir a doença, mas a sua transmissão não ocorre em contato de pessoa- -pessoa. A febre amarela apresenta dois ciclos distintos de transmissão: o silvestre e o urbano. No ciclo silvestre, em áreas florestais, os vetores da febre amarela são os mosquitos Haemagogus e o Sabethes. Já no meio urbano, a transmissão se dá através do mosquito Aedes aegypti (o mesmo da dengue).

 

A febre amarela tem cura? Qual é o tratamento?

 

R - O tratamento é apenas sintomático, com cuidadosa assistência ao paciente, que pode necessitar de hospitalização. O paciente deverá permanecer em repouso e fará reposição de líquidos. Devemos evitar salicilatos (aspirina) e anti-inflamatórios, pois estas medicações podem agravar o quadro clínico e o risco de sangramentos.

 

Quais são os sintomas?

 

R - Os sintomas são febre alta (de até 7 dias de duração) com início súbito, cansaço, dor de cabeça, dor muscular - principalmente abdominal e lombar -., náuseas e vômitos. É comum apresentar um breve período de melhora, usualmente de 2 a 3 dias, então seguido de reinício do mal-estar, icterícia (a pele e as escleras do olho ficam amareladas), além de insuficiência do fígado e dos rins, nos casos mais graves. O paciente também pode apresentar sangramento pelo nariz e nas gengivas, mas podem ocorrer vômitos com sangue ou diarreia - sendo essas as manifestações hemorrágicas da doença.

 

Como podemos prevenir?

 

R - Existem algumas medidas, entre elas a vacinação contra a febre amarela. É importante atentar que existem orientações específicas ou impedimentos para a realização desta vacina - em caso de dúvidas, questione o seu médico. Para as pessoas que vivem em área urbana com ou sem indício dessa doença, a eliminação de focos do mosquito Aedes aegypti é fundamental. Para isso devemos eliminar reservatórios de água onde o mosquito possa depositar seus ovos. Outras medidas preventivas são o uso de repelente de insetos, mosquiteiros e roupas que cubram todo o corpo.

 

Fonte: Revista Saúde | edição 93

SOBRE a MÉDICA

Possui graduação em Medicina pela Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (1993) e especialização profissional em...

A CLÍNICA

Av. Goethe, 21 conj. 604 - Moinhos de Vento | Próximo ao Parcão | Aceitamos...

DOWNLOADS

BAIXAR